Preloader images
Preloader icon

diga como podemos te ajudar

contato@ctrdependenciaquimica.com.br

Avenida Arnaldo Lage, 951

Sepetiba - Rio de Janeiro/RJ

(21) 3597-9564

Os efeitos do uso da maconha podem variar de acordo com as características do usuário, com seu estado de espírito, com o ambiente em que ocorre o consumo e também com as características da droga, segundo o biólogo Lucas Maia, doutorando em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e pesquisador do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (Cebrid).

Atividade locomotora

A maconha de uma maneira geral, promove uma diminuição da atividade motora, fazendo com que o usuário se movimente menos e chegando a um estado de sonolência. Porém, dependendo da dose de tetrahidrocanabinol (THC) – princípio ativo com efeitos mais pronunciados da maconha –, a reação também pode ser oposta, levando a uma sensação de euforia e intensificando os movimentos.

“Tudo o que envolve os efeitos da maconha pode parecer ambíguo mas não, existem análises que mostram que esses efeitos são bidirecionais, dependendo da dose, do indivíduo e do ambiente”, diz Maia.

Frequência cardíaca

Pode haver um aumento da frequência cardíaca, principalmente em pessoas que usam a droga pela primeira vez. “Não chega a ser um efeito que pode levar a um infarto, por exemplo, mas é um aumento cardíaco muito evidente. O usuário pode se sentir incomodado e ansioso, e isso pode ser um risco no caso de indivíduos que tenham histórico pessoal ou familiar de transtorno de ansiedade ou pânico”, explica o biólogo.

Diminuição da temperatura e aumento do apetite

Assim como a maconha provoca a diminuição da atividade motora, também leva a uma diminuição da temperatura corporal, configurando um quadro de hipotermia. Ela pode ainda estimular o sistema digestivo e aumentar o apetite. Olhos avermelhados e boca seca também são alguns dos efeitos observados após o uso da maconha.

Humor

Quanto aos efeitos no humor do usuário, a droga tanto pode provocar relaxamento e calma quanto uma sensação de ansiedade e angústia. Novamente, isso depende das características do usuário e da substância. “Maconha com maior concentração de THC tende a induzir reações de ansiedade com maior frequência, em comparação com a maconha com menor concentração de THC, segundo estudos”, compara Maia. Quando o usuário tem histórico médico de ansiedade, os riscos de a droga despertar emoções negativas são maiores.

Pulmões

O cigarro de maconha contém muitos dos componentes também presentes no cigarro de tabaco comum. Para comparar os efeitos do tabaco e da maconha na função pulmonar, Maia cita um estudo publicado na revista científica “The Journal of the American Medical Association” (Jama) em 2012.

Os pesquisadores investigaram a associação entre o uso de maconha e possíveis efeitos adversos sobre a função pulmonar em mais de 5 mil pessoas. Os resultados mostraram que o uso intenso por longos períodos (mais de 10 anos) esteve associado a um declínio da capacidade pulmonar. Porém, o uso moderado, por até 7 anos, não causou grandes prejuízos aos pulmões, diferentemente do que foi constatado em fumantes comuns que, com a mesma frequência de uso, já apresentavam fortes efeitos adversos.

Memória

A maconha prejudica principalmente a memória de curto prazo e também a chamada memória de trabalho. “São efeitos transitórios, principalmente durante o uso. Mas, se pensarmos que uma pessoa usa a droga todos os dias, vai estar o tempo todo sob esse efeito prejudicial e não vai reter informações”, diz o pesquisador. Maia afirma que, depois de 28 dias sem usar a substância, as funções de memória e cognição voltam a ficar estabilizadas.

Dependência

Apesar de existirem casos de dependência de maconha, ainda não foram feitos estudos clínicos que demonstrem, de forma clara, quais são os mecanismos desse tipo de dependência. A dependência, no caso da maconha, pode se caracterizar pela necessidade de aumentar a dose para obter os mesmos efeitos e também pelos sintomas de abstinência, como irritabilidade, falta de apetite e insônia.

Fonte: https://revivaclinicas.com.br/blog/os-efeitos-do-uso-da-maconha-no-organismo-a-droga-pode-afetar-atividade-locomotora-humor-memoria-e-pulmoes/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *